A declaração de metas para o desafio

Somos cheios de manias e aprendizados, dos quais não nos damos conta.

Em relação a estabelecer metas, por exemplo. Geralmente, de forma inconsciente ou até consciente, temos medo de colocar no papel nossos objetivos, sonhos, desejos e metas. Sentimos que seremos obrigados a fazer aquilo e que se tornará um peso. Ou pior, sentimos que é melhor não sonhar, porque se não conseguirmos alcançar, a frustração será enorme.

Pode até ser. Mas não precisa.

Nós fomos projetados para sonhar. Para criar, inventar e imaginar. Temos todo um sistema direcionado para isso. Sonhar vai muito além de realizar, é funcional. Sonhar faz você viver, assim como comer, dormir, se relacionar com as pessoas e respirar. Os sonhos possibilitam reações químicas e elétricas que fortalecem o seu corpo, do dedo do pé até a sua nuca.

Então, num primeiro momento, sonhar não precisa estar diretamente ligado a realizar. Mas vivemos numa cultura tão capitalista, individualista e apressada, que sonhar por sonhar parece um luxo, um desperdício e uma irracionalidade. Mas não é bem assim. Sonhar pode te ajudar a se conhecer melhor e a ter idéias que podem melhorar a sua vida hoje. E muito mais.

De todos os milhões de sonhos que você pode sonhar numa vida, alguns te convidarão insistentemente para uma jornada. Nesse momento, olhamos para estes de outra forma e colocamo-los na capa de um novo livro. Vamos decidir transformar aquilo em uma história real.

Quando um sonho vira um plano e é composto por etapas e metas, ele começa a se aproximar de você. À medida que você caminhar com ele, você pode realmente fracassar muitas vezes e é provável que isso aconteça. As coisas boas custam caro né? Pois é. Para os erros teremos aprendizados e sempre podemos largar pra lá aquele sonho e dar asas à outro. Podemos mudar as regras, as expectativas, podemos não conseguir. Podemos fracassar! É permitido. Continuaremos sendo nós mesmos. O mais curioso é que podemos sair muito grandes de um fracasso e com novos sonhos. Ou velhos sonhos mais fortalecidos agora.

Pensando bem mesmo, não há muito a perder. O máximo que pode acontecer é a gente aprender um monte de coisas que não deve fazer e caminhos pelos quais não queremos passar novamente. Podemos nos sentir fracos e incapazes, e então teremos que buscar formas de ficarmos fortes e capazes. Por outro lado, podemos acabar conseguindo. Saberemos lidar com isso?

Em um processo de coaching, temos uma série de estratégias que eu ajusto de acordo com o cliente para trabalharmos a criação de metas e a identificação dos sonhos pelos quais iremos lutar.

Por hoje, quero convidar você para pegar uma caneta e um papel e sonhar um pouquinho.

Quero te encorajar a conversar com seus desejos e ideias, seus objetivos e sonhos, e finalmente, pensar de tudo isso, o que hoje te traria maior alívio e alegria. E o que você pode fazer nos próximos 45 dias para dar alguns passos na direção disso se tornar uma realidade. Vamos criar algumas metas para serem realizadas até o dia 30 de outubro?

Quero incentivar você a participar comigo do #desafio45modeon no Instagram. Lá, vamos num grupo de gente colorida, buscar a realização de algumas metas, com um prazo de 45 dias. Vamos falar sobre saúde, qualidade de vida, atividade física e nutrição. Vem com a gente? Dá um pulo lá que você vai entender melhor.

Crie uma declaração de metas pessoais para o desafio e compartilhe conosco. Suas metas precisam ser alcançáveis, realistas, relevantes, precisam ter detalhes, serem claras e terem um prazo. Precisa ter um tipo de evidência que comprove que ela foi alcançada.

Coisas simples podem melhorar sua vida. Se forem  feitas, resolvidas, entregues, faladas.

Eu vou compartilhar lá no Instagram as minhas metas para esse desafio.

Quero conhecer as suas também! Vem com a gente?

Deixe seus sonhos voarem pelo céu azul e quem sabe… eles acabam levando você para um voo incrível.

Vamos juntos!

Te espero no Instagram

@caroldutracoach.

 

Um grande beijo!

 

 

 

Não há comentários

Sorry, the comment form is closed at this time.