O Balanço e a Menina

Desde muito pequenina, logo chegando ao parquinho
Para o balanço, ela corria.
Não conseguia subir sozinha, nem mesmo balançar, nem o nome do brinquedo
Ela podia falar.

Mas seus olhos brilhavam, quando para o balanço eles olhavam
E ela pedia para que a balançassem.
E o vento batia
E ela sorria

O BALANÇO E A MENINA
COMO DESCREVER?
A MENINA E O BALANÇO
COMO NÃO ENTENDER?

E ela foi crescendo
Já falava e já corria
Mas para o balanço ela ia.

Foi quando no parquinho da lagoa
Ela aprendeu a se balançar sozinha.

Agora mais alto ela ia
Parecia um pássaro
Ela cantava e gritava
Às vezes, apenas se calava
E sorria com os olhos fechados
Sentia o vento e o cabelo voava
Isso, ela adorava.

O BALANÇO E A MENINA
COMO COMPREENDER?
A MENINA E O BALANÇO
COMO NÃO SE RENDER?

E na hora de ir embora
E se despedir
Era sempre difícil e silencioso
Mas era hora de partir.

Será que amanhã eu volto?
A pergunta estava em seus olhos
E até mesmo o balanço se entristecia
Quando não mais o calor da menina sentia.

Ela, sem dúvida, era uma amiga especial
Para ela não havia brinquedo igual
O balanço era seu lugar preferido,
Seu amigo querido, seu mundo colorido.

Mas após se despedir
Ia correndo para casa
E o balanço, vazio ficava.

O BALANÇO E A MENINA
COMO SE CONTER?
A MENINA E O BALANÇO
COMO NÃO SOFRER?

Foi quando num belo dia
A mãe da menina, curiosa, pensou
O que há nesse balanço? Porque isso é tão bom?
E ela sentou-se no balanço ao lado da filha
E começou a balançar.

E balançavam as duas, se olhavam
Fechavam os olhos e sorriam
Sentiam o vento, a brisa, a maresia
E como elas riam.

A menina tinha mesmo razão
Não há melhor sensação
Balançar é voar no lugar
Agora não quero mais parar!

E precisa ser criança para brincar?
Não, mas é preciso ter sede de criança
Da água da chuva, do escuro da noite.
Não pode ser adulto que faz dieta,
Que não tem apetite de vida e de emoção
É preciso rir da risada gostosa e rolar no chão

O BALANÇO E A MENINA
COMO ALGO MAIS QUERER?
A MENINA E O BALANÇO
COMO NÃO CORRESPONDER?

Agora eram enfim, duas meninas e dois balanços
E não há como me dizer
Que você não está morrendo de vontade
De balançar de verdade!

Então vamos lá!
Não há tempo a perder!
Procure um balanço
E você vai descobrir
Que o balanço e a menina
É uma história de amor
Que também pode te servir!

QUE O BALANÇO E A MENINA
É UMA HISTÓRIA DE VERDADE
DE PUREZA E AMIZADE
AFINAL, O QUE É A DESCOBERTA DA SIMPLICIDADE?

Por isso, corra para o balanço
Sem mais demora
Não inventa, não complica, não ignora.
Vá se balançar e você vai voar!
Porque o balanço e a menina
É uma história para você
Nunca mais se esquecer!

……….

Poema escrito por mim, sobre a relação da minha filha mais velha com o balanço.
Poema escrito para mim, que descobri que nem tudo precisa ter um objetivo.
Poema escrito para você. Para te inspirar a buscar a simplicidade.
Para te lembrar que existe um mistério nas coisas mais bobas dessa vida.
Que de bobas, não tem nada.

Um beijo!

10 Comentários
  • Leticia Fanck Emwe
    Publicado às 21:02h, 18 agosto

    Muito bom! Adorei!

    • Carol Dutra
      Publicado às 01:13h, 19 agosto

      Que coisa boa Leticia! Obrigada pelo carinho!

  • Louise dutra
    Publicado às 23:19h, 18 agosto

    sinto uma grande alegria ao ler esse poema ! É sempre inspirador !!!! Bjs lu

    • Carol Dutra
      Publicado às 01:12h, 19 agosto

      ❤️❤️❤️❤️

  • Soraya Henle
    Publicado às 11:17h, 19 agosto

    Carol amo suas poesias que muitas vezes nos levam a uma viagem interior maravilhosa!! E descobrimos que o caminho da felicidade estão nas coisas mais simples!! 😘

    • Carol Dutra
      Publicado às 14:12h, 19 agosto

      Eba! Que delícia ler isso. Obrigada minha querida!

  • Paulo Roberto Narciso
    Publicado às 21:02h, 19 agosto

    Perfeito, sabias palavras.. uma boa observadora e sabe apreciar cada momento!!!!

  • Suzana
    Publicado às 07:53h, 21 agosto

    Ahhh.. que lindo este texto…
    Eu quero me balançar também.
    Simplesmente ir e sentir… sem objetivo. Apenas sendo….

  • luciana leite
    Publicado às 15:17h, 21 agosto

    Que lindo, Carol.! Deu até para sentir a brisa de Vila Velha no meu rosto. E pensar que Clara detesta um balanço kkkkk
    Rimas muito gostas de se ler! Parabéns pelo seu talento.

  • Marcia Betiolo
    Publicado às 11:10h, 02 setembro

    Lindo Carol!! Amei!!❤️