A vida muda e a gente muda o tempo inteiro. Quase nada é definitivo. Mas precisamos tomar uma decisão como se fosse para sempre, para vivermos as riquezas e a paz das escolhas feitas, com a clareza das perdas que farão parte do pacote. Não há decisão sem perda e quando tentamos não perder nada ou não desagradar à ninguém, acabamos traindo a nós mesmos e vivendo à margem da vida que poderíamos viver.

Somos cheios de manias e aprendizados, dos quais não nos damos conta. Em relação a estabelecer metas, por exemplo. Geralmente, de forma inconsciente ou até consciente, temos medo de colocar no papel nossos objetivos, sonhos, desejos e metas. Sentimos que seremos obrigados a fazer aquilo e que se tornará um peso. Ou pior, sentimos que é melhor não sonhar, porque se não conseguirmos alcançar, a frustração será enorme. Pode até ser. Mas não precisa.

Todo poeta é um homem E todo homem é um poeta. Poeta com dor, poeta sem cor, Poeta até mesmo sem poesia, Sem melodia, sem encanto, sem furor. Mas ainda assim um poeta, um escritor Como alguém que a memória perdeu, De tanto vagar por aí, ele se esqueceu Que para poesia ele...

Desde muito pequenina, logo chegando ao parquinho Para o balanço, ela corria. Não conseguia subir sozinha, nem mesmo balançar, nem o nome do brinquedo Ela podia falar. Mas seus olhos brilhavam, quando para o balanço eles olhavam E ela pedia para que a balançassem. E o vento batia E ela sorria O BALANÇO E...