Uma caixa, uma pedra e uma flor

SOMOS UMA CAIXA, UMA PEDRA, UMA FLOR
É DIFÍCIL SABER O INTERIOR, A TEXTURA, A COR
NÃO HÁ CAMINHOS ÓBVIOS PARA DENTRO
NÃO PARECE SER POSSÍVEL ENTRAR…

NA DESISTÊNCIA SÓ RESTA ESPERAR.
É QUANDO COMEÇO A DESABROCHAR.
O PERFUME COMEÇA A SE ESPALHAR,
AS CORES COMEÇAM A SE MANIFESTAR.
NÃO SOMOS CAIXA, NÃO SOMOS PEDRA.
SOMOS VIDA.

SOMOS FLOR.

***Poesia escrita para uma cliente muito especial, num processo de coaching voltado para desenvolvimento de inteligência emocional.

O caminho do autoconhecimento é duro. É enigmático. É confuso por muitas vezes. Mas ele é para fora de nós, ao contrário do que muitos pensam. Ele nos permite enxergar o outro como nunca antes. Ele nos permite notar nossa fragilidade e pequenez,  em meio a uma imensidão.

Ao mesmo tempo, aos poucos, nos damos conta da nossa singularidade. Essa, que faz com que não exista nenhuma criatura, em todo o universo, igual a você.

A diversidade da vida me encanta, em mim, em você, em tudo ao meu redor.

Desejo que você perceba sua singularidade e faça ela ecoar! De forma respeitosa, branda e consciente. Consciente de que ela tem razões e propósitos além dos seus interesses pessoais e que se não bem usada, desperdiçada está.

Não só você perde, mas talvez o mundo inteiro.

O PRIMEIRO PASSO É DESCOBRIR
QUAL É A SUA SINGULARIDADE

Vem comigo? Vamos juntos!
Um grande beijo!

2 Comentários
  • Soraya Henle
    Publicado às 00:25h, 30 setembro

    Essa poesia é uma inspiração para a vida!!! E tomara que inspire para mais pessoas. Parabéns Carol pela dádiva de tocar em nossos corações 💕 com poesias que muitas vezes acalentam nossa alma e nos trazem uma verdadeira paz e serenidade.

    • Carol Dutra
      Publicado às 19:56h, 30 setembro

      Obrigada pelo carinho! É uma honra servir!